Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3627
Título: Os homens e as equipes de trabalho no ambiente produtivo
Autor(es): Montanari, Robson Luiz
Orientador(es): Pilatti, Luiz Alberto
Palavras-chave: Grupos de trabalho
Comportamento humano
Produtividade do trabalho
Teams in the workplace
Human behavior
Labor productivity
Data do documento: 17-Dez-2008
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Ponta Grossa
Citação: MONTANARI, Robson Luiz. Os homens e as equipes de trabalho no ambiente produtivo. 2008. 187 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2008.
Resumo: Diante da crescente utilização de equipes no ambiente produtivo, tanto pelas empresas nacionais quanto internacionais, e da constante busca pela produtividade, entender o atual e moderno ambiente produtivo tornou-se fundamental, principalmente porque o trabalho em equipe está intimamente associado aos homens e seus diferentes comportamentos que, por sua vez, são responsáveis pela produtividade organizacional. Considerando que há diferentes performances das equipes no ambiente produtivo, compostas de indivíduos com diferentes comportamentos que caracterizam um modelo de homem, definiu-se a hipótese que permeou o presente estudo: nas equipes com melhor performance há a predominância de um modelo de homem, podendo este modelo ser diferente entre as equipes. Para tanto, foi escolhida para estudo uma indústria que possui gestão por equipes em parte de sua estrutura organizacional. A indústria atua na área de eletrodomésticos no interior do Paraná, localizada na cidade de Pato Branco: Atlas Eletrodomésticos Ltda. A empresa forma uma das maiores indústrias do ramo no país, empregando aproximadamente 1250 trabalhadores, com produção diária de milhares de eletrodomésticos em três estados brasileiros. O procedimento técnico adotado foi o estudo de caso e envolveu a aplicação de entrevistas semi-estruturada, observações não participantes e a aplicação de três questionários para uma população composta de 130 membros de equipes. O primeiro questionário foi a escala de maturidades de Dyer (1995) e teve como objetivo apurar a maturidade das equipes para identificar na curva de desempenho as equipes de Katzenbach e Smith (1994); o segundo questionário foi desenvolvido pelos pesquisadores desta pesquisa e teve como objetivo apurar o modelo de homem que cada membro de equipe representa; e o terceiro questionário continha a escala de prontidão ou maturidade de Hersey e Blanchard (1986) e teve como objetivo apurar a maturidade individual dos membros das equipes. Foram identificados e mapeados pelo menos trinta e sete grupos ou equipes de trabalho, dos quais dezenove não se enquadravam na definição de equipe adotada para o presente estudo. Os resultados com a escala de Dyer (1995) evidenciam que as dezoito equipes mapeadas apresentam um alto grau de maturidade classificando cinco equipes em potencial e treze equipes reais ou verdadeiras, das quais duas foram caracterizadas como equipes de alta performance. Os resultados com o segundo questionário mostrou que os modelos de homem estão distribuídos nas equipes com as mais diversas formações retratando todos os modelos de homem que o instrumento desenvolvido pelos pesquisadores se propôs a mapear. Os resultados com a escala de prontidão ou de maturidade de Hersey e Blanchard (1986) mostraram que os membros das equipes mapeadas possuem, em linhas gerais, um alto grau de maturidade em relação à sua habilidade e disposição ao desempenhar presentemente a sua principal tarefa no trabalho. Os resultados da correlação modelo de homem X maturidade do indivíduo mostraram que a maturidade individual não está associada aos comportamentos de um determinado modelo de homem. Do homem econômico ao complexo, a distribuição das maturidades não se apresentou de modo uniforme, como apresentado por Hersey e Blanchard (1986). Os resultados da correlação modelos de homem X maturidade das equipes evidenciaram que a hipótese que permeou a pesquisa é válida, pois nas equipes em que há a predominância de um modelo de homem, a performance da equipe tende a ser maior. Sob a ótica de Norbert Elias, os resultados obtidos nas equipes em estudo mostraram que quando há menos níveis multipessoais, menos membros com comportamentos diferentes, as relações de interdependências tendem a se estabelecer com mais qualidade, criando uma identidade na equipe e favorecendo o seu desempenho no ambiente produtivo.
Abstract: Due to the growing use of teams in the productive environment, both by national and international companies, and to the constant search for productivity, understanding the current and modern productive environment has become essential, especially because the team work is closely associated with men and their different behaviors, which are responsible for organizational productivity. Whereas there are different teams performances in the productive environment, and that they are composed of individuals with different behaviors, and those behaviors that characterize a type of man the hypothesis that permeated this study was set up: in the teams with better performance there is a predominance of a model of man, this model may be different between the teams. For this reason a study of the teams of an industry, which has a team management all over its organizational structure, was taken. The industry works in the area of home appliances inside Paraná State, located in Pato Branco town: Atlas Eletrodomésticos Ltda. The company belongs to one of the biggest home appliances industries in the country, employing approximately 1250 employees and daily production of thousands of appliances in three Brazilian states. The technical procedure adopted was the case study and involved the application of semi-structured interviews, non-participant observations, as well as three questionnaires for a population composed of 130 team members. The first questionnaire was the scale of maturities of Dyer (1995) and aimed to assess the maturity of the teams and identify it in the curve of team performance from Katzenbach and Smith (1994), the second questionnaire was developed by researchers in this search and aimed to determine the type of man who represents each member of the team, and the third questionnaire was the scale of readiness or maturity by Hersey and Blanchard (1986) and aimed to assess the maturity of individual members of teams. At least thirty-seven groups or working teams have been identified and mapped and nineteen of those did not comply with the definition of team adopted as the cutoff for this study. The results with Dyer scale (1995) show that the eighteen mapped teams present a high degree of maturity, classifying five teams in potential and thirteen real or genuine teams, and from those last ones, two have been characterized as high-performance teams. The results of the second questionnaire showed that the models of man are distributed in teams with the most different formation covering all types of man that the developed instrument by researchers was proposed to map. The results with the scale of readiness or maturity by Hersey and Blanchard (1986) highlighted that the members of the mapped teams have, in general, a high degree of maturity in relation to their ability and willingness to fulfill their main task at work. The results of the correlation model between man X maturity of the individual showed that the individual mature is not linked to the behaviors of a particular type of man. From the economic to the complex man the distribution of maturities is not presented in a uniform manner, as presented by Hersey and Blanchard (1986). The results of the correlation models of man X maturity of the teams highlighted that the hypothesis that permeated the research is valid, because the teams in which there is a predominance of one type of man, the performance of the team tends to be higher. From the viewpoint of Norbert Elias, the results in teams under study showed that having less multi-personal levels, fewer members with different behaviors, the relationship of interdependence tend to have more quality, creating an identity of the team and encouraging the performance of it in the productive environment.
URI: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3627
Aparece nas coleções:PG - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PG_PPGECT_M_Montanari, Robson Luiz_2008.pdf
  Disponível a partir de 5000-01-01
2,8 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir Solicitar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.